Duchesse de Bourgogne

Publicado: 17/04/2017

Uma das nossas campeãs de venda é a Duchesse de Bourgogne, fato que sempre nos chamou a atenção por se tratar de um estilo bem pouco conhecido no Brasil. A Duchesse é uma Flanders Red Ale. Flanders (ou Flandres, em português) é uma pequena região ao norte da Bélgica onde se fala uma variante da língua holandesa chamada flamengo. Embora tenha traços culturais bem específicos, a região é super pequena. Sua área corresponde a 60% do menor estado brasileiro: Sergipe. Foi lá que surgiu o estilo, onde é bastante popular

Tecnicamente, a Flanders Red Ale faz parte da grande e reputada família das Belgian Ales. É prima-irmã das Saison, Biere de Garde e Trapistas. E parente bem próxima das Lambics.

 Todo mundo gosta de contar a história da Duquesa que deu nome à cerveja. Então  vamos lá. Maria van Bourgondië nasceu em 1457 em Bruxelas, filha do Duque Charles,  o Temerário, e sua esposa Isabella de Bourbon. Com a idade de 20 anos assumiu o  ducado no lugar de seu falecido pai e aí começou a confusão porque todo mundo  queria casar com a moça. O rei francês Luiz XI fez tudo que pode para que seu filho  mais velho desposasse a Duquesa, desprezando o fato dela ter 20 anos de idade e o  moleque apenas 6. O que o rei pretendia era anexar o cobiçado Ducado da Borgonha  à França. De temperamento forte, a Duquesa não caiu nesse papo furado. Não apenas  ela expulsou os franceses do Ducado como se casou com o herdeiro do império  austríaco, futuro Rei Maximiliano I. O atrito criado com a França se mostrou perene e,  em última instância, redundou na I Guerra Mundial, quase cinco séculos depois.

Na primavera de 1482 o acidente fatal aconteceu. Uma versão conta que a jovem duquesa cavalgava junto com o marido quando sua montaria tropeçou. Ela caiu, o cavalo pisou em suas costas fraturando as costelas e a espinha. Outra versão dita que a duquesa, grávida do terceiro filho, caiu do cavalo e bateu a cabeça numa árvore, ficando inconsciente. Seja como for, a duquesa morreu alguns dias depois, recebendo a honra de ser enterrada na Igreja de Nossa Senhora, em Bruges, Bélgica.

A cervejaria Verhaeghe não é tão antiga quando a Duquesa. Fundada em 1885, esta pequena empresa foi dizimada durante a primeira guerra mundial, o que não deixa de ser irônico. Sem muito dinheiro para se reconstruir, a Verhaeghe optou por alguns dos tradicionais métodos artesanais belgas de produção de cerveja, que exigiam muita pericia e cuidados manuais mas dispensavam caros equipamentos industriais. Foi quando a Duchesse de Bourgogne começou a angariar a extraordinária reputação que a mantém como cerveja símbolo da realeza até os dias atuais. Quando em 2004 o príncipe Frederik da Dinamarca se casou com a princesa Mary, a bebida servida foi a Duchesse de Borgogne

De acordo com o fabricante, a cerveja é fabricada com maltes torrados e lúpulo de baixo amargor. Após a fermentação principal, o produto amadurece por muitos meses em barris de carvalho. Os taninos do carvalho dão à Duquesa de Bourgogne o seu caráter único. O aroma e o paladar complexos remetem imediatamente ao vinho (assim como suas primas Lambic remetem à Champagne). A Duchesse de Bourgogne é universalmente considerada a cerveja que mais contem notas vinificas no mundo

 A cerveja é uma especialidade gastronômica que deve ser apreciada na temperatura e  copos corretos. Nunca cometa o sacrilégio de toma-la gelada. A temperatura ao redor  de 10 graus realçará todas as suas imensas qualidades. Sirva em taça e aproveite sem  moderação

 Harmoniza com patês, caldos e sopas diversas e queijos fortes. Nos doces, harmoniza  com cheesecake, torta de limão, pudim, torta de maçã, e frutas cítricas, dentre outros

 Compre a Duchesse de Bourgogne acessando aqui


 

Voltar